Conheça 7 dicas de planejamento estratégico para pequenas empresas

Conheça 7 dicas de planejamento estratégico para pequenas empresas

Muitos negócios fecham as portas antes de completar 5 anos de atividade e a falta de planejamento costuma ser a principal causa. Um planejamento estratégico para pequenas empresas não só é possível como fundamental para garantir permanência no mercado.

O planejamento estratégico é o documento que determina as estratégias e direcionamento de recursos, objetivando atingir os objetivos e metas em um determinado período. Ele pode ter estimativa de um a cinco anos, mas deve sempre ser monitorado, para avaliação dos resultados.

Confira a seguir 7 dicas de planejamento estratégico para pequenas empresas que irão fazer a diferença nos resultados do seu empreendimento. Boa leitura!

1. Formalize as práticas da empresa

Para que o desempenho do seu empreendimento seja avaliado de forma realista, é preciso haver uma separação dos assuntos da empresa com os outros aspectos de sua vida pessoal.

Sua empresa precisa ter a própria conta, o próprio planejamento financeiro, fluxo de caixa e agendamento de atividades, tudo isso operando sem vínculos com família, despesas pessoais ou quaisquer outras atividades.

Cuidado ao considerar envolvimento de familiares no ambiente de trabalho, pois há riscos de instabilidades e discussões desnecessárias. Caso você opte por contar com o trabalho de um parente, formalize sua participação, seja ela temporária ou duradoura.

2. Estude os ambientes interno e externo

O ambiente interno da empresa contém as variáveis tidas como controláveis porque elas fazem parte diretamente do seu empreendimento e você tem condições de interferir nelas (funcionários, gestão, planejamento financeiro, atendimento ao cliente, etc.). O mais importante aqui é identificar os pontos fortes e os pontos fracos.

Todavia, a sua empresa também faz parte de todo um macroambiente que a afeta de diversas formas. Mudanças no mercado, concorrência, índices de inflação e outras variáveis podem representar oportunidades ou ameaçar ao seu empreendimento. Aqui, portanto, ameaças e oportunidades precisam ser identificadas.

Esta técnica de estudo de ambiente interno e externo é conhecida como análise SWOT, e ela vai permitir a adoção de uma estratégia mais específica e apropriada, de acordo com os resultados obtidos no estudo dos ambientes.

3. Elabore um plano de marketing sólido

Um planejamento estratégico para pequenas empresas deve contar com um plano de marketing. Ele norteia as ações de prospecção de clientes, lançamento de um novo produto ou serviço, estratégias de vendas, de anúncios e publicidade, por exemplo.

Entre benefícios importantes do plano de marketing estão um maior poder de enfrentamento da concorrência e a identificação de períodos mais adequados a promoções (datas comemorativas, estações do ano, períodos de férias e feriados prologados, etc.), bem como definição das melhores estratégias de venda.

Os 4Ps do marketing

Marketing Mix ou 4 P’s do Marketing é uma ferramenta conhecida e efetivamente viável a um planejamento estratégico. Ela consiste na definição de 4 pilares fundamentais para conquista de espaço no mercado:

  • Preço: definição do valor a ser cobrado ao cliente;
  • Produto: atribuições daquilo que será oferecido ao cliente (o que é, utilidade, valores agregados);
  • Promoção: envolve todo o universo de elaboração de anúncios e posicionamento de marca, escolha dos canais de comunicação, uso de mídias digitais, etc.
  • Praça (ou Ponto): trata-se do local (ou locais) de contato direto com o público-alvo.

A definição dos 4 P’s do Marketing deve ser baseada numa pesquisa ampla do mercado em que sua empresa está atuando e uma definição bastante clara do seu público-alvo.

4. Definição de metas

As metas constituem um conjunto de ações a serem executadas em um determinado período de tempo (variando bastante de acordo com cada planejamento estratégico).

Uma das ferramentas mais conhecidas para estabelecimento de metas é a estratégia SMART, que propõe 5 norteadores:

  • S – (Specific) Específicos: metas devem ser específicas e objetivas, sem dar possibilidades de duplas interpretações;
  • M – (Measurable) Mensuráveis: metas devem ser medidas e avaliadas de forma quantificável;
  • A – (Attainable) Atingíveis: metas devem ser estipuladas de modo que seu cumprimento seja possível; precisam ser viáveis;
  • R – (Realistic) Realistas: devem ser estabelecidas de acordo com a realidade e possibilidades da empresa para cumpri-las;
  • T – (Time-bound) Temporizáveis: devem ter prazos de duração pré-estabelecidos.

5. Escolha a melhor estratégia

Uma estratégia diz respeito a um conjunto de mudanças competitivas e abordagens comerciais que visam o maior índice possível de sucesso em vendas.

Estratégias competitivas genéricas

As estratégias competitivas genéricas podem ser usadas em conjunto ou separadamente e visam posicionar seu empreendimento no mercado de forma sustentável. São três:

  • baixo custo: quando a empresa foca em ações que visam aumentar produtividade e reduzir as despesas. O preço do produto torna-se o maior atrativo ao público-alvo;
  • diferenciação: investimento significativo em posicionamento de marca e excelência no atendimento ao cliente;
  • foco: escolha de investimento em uma demanda específica que a empresa pode atender de forma diferenciada e destacá-la na concorrência.

A adoção de qualquer estratégia competitiva apresenta riscos. Sua escolha deve ser cautelosa e baseada na análise de mercado.

6. Execução e aplicação de novas tecnologias

O advento das novas tecnologias ocupa hoje basicamente todos os segmentos empresarias, perpassando os setores da indústria, comércio e prestação de serviços. Uma pequena empresa também pode se beneficiar destes novos recursos.

Existem no mercado softwares voltados para pequenos negócios. Uma recomendação muito utilizada é o uso do software de gestão. É um investimento de baixo custo, que apresenta resultados concretos em curto prazo.

O software de gestão irá otimizar o seu tempo, organizar as atividades da empresa, gerar relatórios, diagnósticos e auxiliar na elaboração do planejamento estratégico.

Outras duas tecnologias que podem ser muito proveitosas são a impressora 3D, para desenvolvimento de protótipos, e o Cloud Computer, que é o mecanismo de armazenamento de dados digitais em nuvem.

7. Descubra a oportunidade que a crise esconde

Momentos de crise apontam dificuldades, talvez mudança de rumos. No entanto, podem também indicar novas oportunidades de desenvolvimento na identificação de uma nova demanda ou na criação de um novo diferencial, por exemplo.

Não se trata de minimizar os problemas que um contexto econômico ruim pode gerar no mercado. Trata-se de perceber esses momentos difíceis como um incentivo à criatividade e ao surgimento de ideias inovadoras.

Medidas simples, de baixo custo e fácil aplicação podem fazer a diferença no desempenho do seu empreendimento. Para isso, você precisa ser o maior conhecedor do seu próprio negócio e investir em um planejamento estratégico sólido.

Quer saber mais sobre planejamento estratégico para pequenas empresas? Entre em contato conosco e descubra a solução que temos para você!